Open/Close Menu Unidade de Saúde Familiar

O sarampo é uma doença altamente contagiosa e grave causada por um vírus da família dos paramixovírus. Antes da introdução da vacina, em 1963, e ampla vacinação da população, estima-se que esta doença matasse cerca de 2,6 milhões de pessoas/ano.

A doença continua a ser uma das principais causas de morte entre as crianças de todo o mundo, apesar da disponibilidade de uma vacina segura e eficaz. Trata-se de uma doença mais comum em países em desenvolvimento, particularmente em algumas zonas da África e Ásia.

Apesar de apresentar uma taxa de cobertura vacinal muito boa, num mundo cada vez mais globalizado e sem fronteiras, Portugal não está livre de risco, nomeadamente através da importação de casos.
O sarampo é uma das doenças infeciosas mais contagiosas, podendo em alguns casos evoluir gravemente. A vacinação é a principal medida de prevenção contra esta doença e é gratuita. O Programa Nacional de Vacinação recomenda a vacinação com duas doses, aos 12 meses e aos 5 anos de idade.

Quais são os sintomas do sarampo?

  • Primeiros sintomas (Período prodrómico ou catarral): febre, conjuntivite, coriza, tosse.
  • Aparecimento de pequenos pontos brancos na mucosa oral (manchas de Koplik), cerca de 1-2 dias antes do aparecimento do exantema maculopapular.
  • Entre o 3º e 7º dia – exantema maculopapular, inicialmente no rosto, seguindo-se, no tronco e por último nos membros inferiores, com duração de cerca de 4 a 7 dias, terminando, por vezes, em descamação.

Quais as possíveis complicações?

  • otite média
  • pneumonia
  • laringotraqueobronquite (crupe)
  • convulsões febris
  •  encefalite

Os adultos normalmente têm doença mais grave do que as crianças.
Os doentes imunocomprometidos podem ter sarampo sem exantema maculopapular.
Nas pessoas vacinadas a doença é, habitualmente, mais benigna, podendo não apresentar o quadro clínico completo.

Como se transmite?
O vírus do sarampo é transmitido por contacto direto com as gotículas infeciosas ou por propagação no ar quando a pessoa infetada tosse ou espirra.

Qual é o período de contágio?
Os doentes são considerados contagiosos desde 4 dias antes até 4 dias depois do aparecimento da erupção cutânea. A transmissão é mínima após o 2º dia do exantema.
Os doentes imunocomprometidos podem ter períodos de contágio mais prolongados.
As pessoas vacinadas têm período de contágio menor e menor risco de transmissão.

Qual é o período de incubação?
Os sintomas de sarampo aparecem geralmente entre 10 a 12 dias depois da pessoa ser infetada e começam habitualmente com febre, erupção cutânea (que progride da cabeça para o tronco e para as extremidades inferiores), tosse, conjuntivite e corrimento nasal;
Os adultos normalmente têm um período de incubação mais longo do que as crianças.

O que devo fazer para prevenir o Sarampo?
A vacinação de acordo com o Programa Nacional de Vacinação (PNV 2017) é a melhor medida de prevenção.
Verifique o seu boletim de vacinas para confirmar se foi vacinado ou não. Em caso de dúvidas, entre em contacto com a sua unidade de saúde e se necessário vacine-se e vacine os seus.

Quadro I – Número de doses de VASPR recomendadas, de acordo com a idade

As pessoas que já tiveram sarampo estão imunizadas e não voltarão a ter a doença, pelo que não necessitam de se vacinar.

A vacina está contraindicada na gravidez, devendo evitar-se a mesma devem evitar a gravidez até um mês depois da administração da VASPR

Que fazer caso tenha estado em contacto com um caso suspeito?

Se esteve em contacto com um caso suspeito de sarampo e tem dúvidas ligue para o SNS 24 – 808 24 24 24;

Tenho sintomas sugestivos de Sarampo. Que faço?

Se tem sintomas sugestivos de sarampo não se desloque e evite o contacto com outros.

Ligue para o SNS 24 – 808 24 24 24

CategoryInfecciosas

SAÚDE 24     808 24 24 24